quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Os três porquinhos e o capuchinho vermelho.

Era uma vez três porquinhos que viviam com a sua mãe numa floresta.
A mamã porquinho decidiu que já era altura dos seus filhos saberem como era o mundo. Então, os três porquinhos despediram-se da sua mãe e cada um foi por um caminho diferente.
O primeiro porquinho, como era muito, muito preguiçoso, construiu uma casa de palha na floresta ao pé de uma quinta, com galinhas.
Depois de ter construído a sua casa, deitou-se a dormir. Como o lobo ia lá todos os dias roubar galinhas, viu o porquinho dentro de casa e ordenou-lhe:
- Abre a porta porquinho, se não soprarei e a tua casa derrubarei.
O porquinho não a abriu e o lobo soprou, derrubou a casa e o porquinho comeu.
O segundo porquinho que também era um pouco preguiçoso, parou no caminho e construiu uma casa feita com ramos. O lobo, quando ia a passar viu o porquinho e disse-lhe:
- Abre a porta porquinho, se não soprarei e a tua casa derrubarei.
O porquinho não a abriu e o lobo soprou, soprou, derrubou a casa e o porquinho comeu.
O terceiro porquinho, que trabalhou para ser alguém na vida, decidiu construir uma casa de tijolos na cidade, ao pé do capuchinho vermelho.
Quando acabou de construir a casa, foi cumprimentar o capuchinho, que estava de saída.
O capuchinho, como tinha de ir levar à sua avozinha uma cesta com algumas coisas, convidou o porquinho, e o porquinho aceitou...
A meio do caminho, encontraram o lobo que queria comer o porquinho, mas ele, fugiu a tempo e voltou para a sua casinha.
Enquanto isso, o capuchinho ficou lá e o lobo perguntou-lhe:
- Onde vais capuchinho?
- Vou levar uma cesta de doces e alguns aperitivos à minha avó- respondeu o capuchinho.
Ao saber disto o lobo foi a correr pelo caminho mais próximo até a casa da avózinha do capuchinho.
Quando lá chegou, bateu à porta e a avó abriu-a.
O lobo saltou para cima da avózinha e comeu-a.
Depois de comer a avózinha foi a casa do terceiro porquinho do terceiro porquinho e disse-lhe:
- Abre a porta porquinho, se não soprarei, e a tua casa derrubarei:
- Sopra à vontade. A mim não me metes metes medo.
Então o lobo soprou, soprou, até que gastou as suas forças e não deitou a casa a baixo. Até que se lembrou de entrar pela chaminé mas, o porquinho como era esperto, tapou a chaminé.
O capuchinho-vermelho, decidiu seguir o lobo, chamou um lenhador que o matou e lhe abriu a barriga.
Então, os dois porquinhos e a avó sairam sãos e salvos.
E assim acabou a história, e acabou muito bem, pois ficaram de barriga cheia com a festa que o terceiro porquinho deu.

Rute

6 Comments:

At 08 fevereiro, 2006 15:37, Anonymous Anónimo said...

parabens bonito texto. muitos beijinhos

 
At 11 fevereiro, 2006 21:45, Anonymous Anónimo said...

Parabéns!
O texto está muito giro.
Mas atenção: Na parte em que o terçeiro porquinho diz que Olobo nao lhe mete medo está:"...amim não me "metes" "metes" medo."

 
At 12 fevereiro, 2006 15:30, Blogger miguel antonio said...

Está muito giro o texto.
Parabéns!!!!!!

 
At 11 junho, 2006 08:22, Anonymous Anónimo said...

Very best site. Keep working. Will return in the near future.
»

 
At 21 julho, 2006 15:46, Anonymous Anónimo said...

Looks nice! Awesome content. Good job guys.
»

 
At 23 julho, 2006 12:36, Anonymous Anónimo said...

I find some information here.

 

Enviar um comentário

<< Home